Ar

Para a tradição Tupi-Guarani a Natureza é a doadora da vida. Estamos ligados a ela através da nossa respiração. Somente assim a vida pode fluir abundantemente e em harmonia. O desequilíbrio ocorre como nos ensina Kaká Werá em sua obra “Terra de Mil Povos” quando esse ciclo é cortado, quando o circulo da grande respiração é interrompido. Sobre o que eles nos ensina, podemos comparar com a ideia de uma chaminé que entupida, produz  muita fumaça no interior da casa, que sem vazão acaba restringindo a respiração de seus ocupantes, sempre que a lareira nos dias mais frios é utilizada.

O Ar além de representar a função Psicológica do Pensamentos ou Razão é um elemento diferenciado por penetrar suavemente nos espaços mais escondidos sem ser notado. Entre e sai a todo instante de dentro de cada um, fazendo com que comunguemos de um mesmo gesto, a respiração, a primeira troca que realizamos e que atesta que estamos vivos, quando acabamos de chegar neste mundo como recém nascidos.

A voz humana também esta diretamente ligada a este elemento, cuja emissão sonora e entonação adequada perpassam o ritmo respiratório criando aberturas sensíveis que ampliam e nos ligam a oralidade e musicalidade. É principalmente durante o Outono que passamos a perceber as folhas caídas e o vento rodopiante com suas rajadas de ar que vão abrindo espaço para o Inverno, que com seu Ar frio passamos a enxerga-lo exalados de nossas narinas e boca. Assim como todos os outros elementos, o Ar é também um importante elemento para a manutenção da vida tal como a conhecemos, o fato de possuirmos uma Atmosfera e Gravidade no Planeta, é que possibilita a presença do Ar, do Oxigênio que dos Reinos Vegetais ao Humano somos todos co-dependentes de sua presença.

 

entrar_em_contato